PAULO MENDES DA ROCHA GANHA MEDALHA DE OURO DA ARQUITETURA EM LONDRES

post_paulomendes2

RIO – O arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha foi anunciado, nesta quinta-feira, como o vencedor da medalha real de ouro 2017 do Instituto Real de Arquitetos Britânicos (RIBA, do nome em inglês Royal Institute of British Architects). Trata-se de uma das maiores honrarias dessa área. O prêmio vem como reconhecimento da trajetória profissional desse capixaba de 87 anos, que, também neste ano, foi agraciado com o Prêmio Imperial do Japão e o Leão de Ouro da Bienal de Veneza. Anteriormente, ele recebeu o Mies van der Rohe para Arquitetura Latino-americana (2000) e o Pritzker (2006), o mais importante do setor.

O RIBA é um dos mais antigos prêmios da arquitetura. Foi instituído em 1848, e sua concessão passa pelo crivo do monarca, no caso a rainha Elizabeth. Em sua justificativa, a presidente do RIBA, Jane Duncan, disse que “Paulo Mendes da Rocha é um arquiteto de renome mundial e uma verdadeira lenda viva”: “Revolucionário e transformador, o trabalho de Mendes da Rocha tipifica a arquitetura brasileira dos anos 1950 — de concreto cru, volumoso e belamente brutal”, disse ela. Antes dele, só um brasileiro havia recebido a láurea: Oscar Niemeyer, em 1998.

 

“VOCÊ VIU QUE COISA FANTÁSTICA?”

Ao contrário de Niemeyer — “e a despeito de sua reputação”, observa o comunicado do RIBA —, Mendes da Rocha não assinou muitas obras no exterior. São exceções o pavilhão brasileiro na Expo 70, em Osaka, no Japão, e o Museu dos Coches, em Lisboa (2015). Já no Brasil, sua obra é extensa, e se concentra em São Paulo, onde mora desde os anos 1940. É dele a reforma da Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 1993 — em que teve o desafio de adequar a construção do século XIX às necessidades de uma instituição moderna —, a sede do Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) e o Museu da Língua Portuguesa (destruído por um incêndio em dezembro de 2015), ambos igualmente na capital paulista.

— Você viu que coisa fantástica? — reagiu ele, ao ser perguntado como se sentia com mais essa láurea. — Eu já trabalho há mais de meio século, e para mim isso é motivo de alegria. Vejo esse prêmio como um reconhecimento da estrutura da minha escola, dos arquitetos que trabalham comigo — ressaltou ele, repetindo suas palavras ao comentar o Prêmio Imperial do Japão, há duas semanas — todo trabalho é coletivo:

— Esse é um prêmio para todos nós.

Para Mendes da Rocha, é uma questão urgente, no seu campo de trabalho, “transformar a tendência de a arquitetura ser uma simples mercadoria”.

PUBLICIDADE

— A grande ação da arquitetura é influir nos governos, visando o planejamento, a constituição de um habitat humano no planeta. Porque as coisas na natureza não vão ficar para sempre como estão — comenta.

Há duas semanas, Mendes da Rocha foi elogiado pelo júri do Prêmio Imperial do Japão por seu compromisso em honrar “a localidade, a história e a paisagem” em seus projetos, utilizando “materiais simples, como concreto e aço, para estruturar o espaço para efeito máximo”. O prestigioso prêmio, criado em 1989, se destina a “contribuições relevantes para desenvolvimento, promoção e progresso das artes”.

O ano vitorioso reforça o posto de Mendes da Rocha como o mais celebrado arquiteto nacional vivo. Em 2006, ele foi o segundo brasileiro a receber o Prêmio Pritzker, considerado o Nobel da arquitetura (o primeiro foi Oscar Niemeyer, em 1988). Em 2000, ganhou a primeira edição do prestigioso Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-americana, pelo projeto do MuBE. O prêmio do RIBA será concedido numa cerimônia em Londres, em janeiro de 2017.

 

via OGlobo

Anúncios

RANKING 2016 DAS MELHORES FACULDADES DE ARQUITETURA DO BRASIL

bossfight-stock-images-photos-photography-free-high-resolution-architecture-building

Folha de S. Paulo acaba de divulgar seu Ranking Universitário Folha – RUF 2016, onde estão listadas as melhores universidades, escolas superiores e faculdades do país, públicas e privadas, elencadas de acordo com suas colocações em diferentes quesitos, como “Qualidade de Ensino”, “Avaliação do Mercado” e nota no ENADE.

A lista de escolas de arquitetura abrande 303 cursos de todos os estados, 35 a mais que no ano passado, com predominância de escolas privadas, e é interativa, ou seja, o ranking varia de acordo com a categoria que se deseja dar ênfase.

Veja a seguir o ranking dos dez cursos de arquitetura e urbanismo que obtiveram as melhores colocações gerais:

1. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
2. Universidade de São Paulo (USP)
3. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
4. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
5. Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACKENZIE)
6. Universidade de Brasília (UNB)
7. Universidade Federal do Paraná (UFPR)
8. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
9. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
10. Universidade Federal da Bahia (UFBA)

A lista mostra grande predominância de instituições públicas (nove entre as dez primeiras) e o predomínio de universidades da região sul e sudeste, com três delas no estado de São Paulo.

Entre as instituições privadas, os dez cursos de arquitetura e urbanismo com as melhores colocações são:

1. Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACKENZIE) (5ª no ranking geral de arquitetura)
2. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) (13ª no ranking geral de arquitetura)
3. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) (14ª no ranking geral de arquitetura)
4. Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (FEBASP) (15ª no ranking geral de arquitetura)
5. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMPINAS) (17ª no ranking geral de arquitetura)
6. Universidade Paulista (UNIP) (20ª no ranking geral de arquitetura)
7. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS) (22ª no ranking geral de arquitetura)
8. Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) (24ª no ranking geral de arquitetura)
9. Universidade Anhembi Morumbi (UAM) (25ª no ranking geral de arquitetura)
10. Faculdade de Artes Plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) (26ª no ranking geral de arquitetura)

Para acessar a lista e navegar em seus recursos – que também tem uma seção dedicada a Mestrado e Douturado – clique aqui.

A lista geral das melhores instituições de ensino superior do país segundo o ranking da Folha de S. Paulo é:

1. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
2. Universidade de São Paulo (USP)
3. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
4. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
5. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
6. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)
7. Universidade Federal do Paraná (UFPR)
8. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
9. Universidade de Brasília (UNB)
10. Universidade Federal do Ceará (UFC)

Via Folha de S. Paulo

APRENDA A OTIMIZAR SUA JORNADA DE TRABALHO

post_agenda

“O tempo não me alcança” ou “não avanço com as pendências” são frases que se repetem no mundo profissional, convertendo-se em um importante elemento gerador de estresse e angústia entre os trabalhadores.

Otimizar o uso do tempo no trabalho diário é possível, afirmam os especialistas. Mas, para isso, é necessário aprender algumas ferramentas ou técnicas para administrar melhor as tarefas no trabalho profissional.

Entre elas, se sobressaem o planejamento das tarefas atribuídas, a habilidade de controlar interrupções, priorizar o urgente, aprender a delegar e também a dizer “não”, algo que para muitas pessoas é difícil devido ao medo de serem interpretadas como pouco comprometidas com o que fazem.

“As pressões diárias, assim como a falta de definição de funções e tarefas, são grandes ladrões de tempo”, comenta Marcela del Barrio, diretora de Gestão de Pessoas da Sodexo, que também adverte que muitos trabalhadores se envolvem inconscientemente em práticas que vão contra seu bom uso de tempo dedicado ao trabalho. Esse é o caso de não planejar as atividades do dia ou semana, buscar a perfeição, trabalhar demais, perder de vista os objetivos e confundir o importante com o urgente.

Este último ponto, em específico, é um dos principais fatores que “enreda” o tempo no escritório. Daí a importância de aprender a identificar o urgente como as tarefas e atividades que exigem atenção imediata e o importante como os trabalhos que dão sentido a existência ao longo prazo das organizações.

“Fixar metas específicas e realistas para cada dia é um bom ponto de partida para organizar melhor o tempo”, aconselha a executiva, que recomenda reservar diariamente 5 a 10 minutos do dia para planejar e categorizar as atividades.

Outras dicas para se levar em conta para gerir adequadamente a economia do tempo profissional são:

  • Concentrar-se nos assuntos importantes e permanecer concentrado no que está fazendo.
  • Fixar datas-limite para alcançar suas metas e deixá-las por escrito, de maneira que possa revisá-las periodicamente. Assim se mantém a orientação e não se desperdiça tempo e/ou energia em coisas secundárias.
  • Antecipar o tempo que vai necessitar para terminar uma tarefa. Não esqueça que habitualmente isso demora mais do que se pensa originalmente.
  • Evitar as distrações. Apesar de parecer simples, nem sempre é, já que ceder a demandas que tomam tempo, como sair para comprar ou assistir a uma reunião inesperada, é uma tentação constante que envolve nossa popularidade e aceitação diante aos colegas de trabalho.
  • Agrupar tarefas similares para não perder a concentração.
  • Preparar as reuniões. Esta simples ação ajudará a encurtar o tempo necessário para alocar tarefas, revisar progresso e traçar objetivos.

PAULO MENDES DA ROCHA RECEBE O PRÊMIO IMPERIAL DO JAPÃO

post_paulo

O arquiteto Paulo Mendes da Rocha, de 87 anos, foi anunciado nesta terça-feira, 13 de setembro, vencedor do Prêmio Imperial do Japão 2016, um dos mais prestigiosos do mundo — meses depois de ter sido agraciado com o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza.

Os outros ganhadores, anunciados também hoje em Tóquio, são Martin Scorsese (teatro/cinema), Cindy Sherman (pintura), Annette Messager (escultura) e Gidon Kremer (música).

A premiação acontecerá em Tóquio no dia 18 de outubro e cada premiado receberá 15 milhões de ienes (cerca de R$ 480 mil) e uma medalha, entregue pelo príncipe Hitachi. O brasileiro deve ser representado na premiação pelo filho, o também arquiteto Pedro Mendes da Rocha. Ele é o segundo brasileiro a merecer essa distinção japonesa — o primeiro foi Oscar Niemeyer, em 2004.

Criado em 1989, o Prêmio Imperial do Japão já reconheceu a trajetória de arquitetos como Dominique Perrault (2015), Steven Holl (2014), David Chipperfield (2013), Henning Larsen (2012), Peter Zumthor (2008) e Rem Koolhaas (2003). Nas outras categorias, já foram premiados Francis Ford Coppola (cinema, 2013), Philip Glass (música, 2012), Anish Kapoor (escultura, 2011), Sophia Loren (cinema, 2010) e Robert Rauschenberg (pintura, 1998), entre muitos outros.

OS MELHORES SITES DE TUTORIAIS DE ARQUITETURA

post_sites1

Em um mundo onde arquitetos podem usar computadores para produzir representações de projetos com níveis de precisão jamais vistos, fluência em alguns softwares é algo cada vez mais necessário. Com isso em mente, o ArchDaily perguntou aos seus leitores quais são os melhores tutoriais disponíveis online. Após analisar os comentários e procurar por outras fontes, compilamos esta lista que (esperamos) ajudará a aprimorar suas técnicas de produção de imagens.

Para facilitar a navegação, dividimos a lista por categorias:

Pré-produção de modelagem e desenho: esta categoria abrange softwares como AutoCAD, Rhinoceros e programas BIM.

Produção de imagens: Voltada principalmente para programas de renderização, esta categoria abrange softwares como 3ds Max e V-Ray.

Pós-produção e edição de imagem: Programas como Photoshop se enquadram nessa categoria.

Também criamos uma categoria mais generalizada para fontes que abordam mais de uma categoria ou contribuem dando dicas gerais de softwares, sem oferecer lições diretas.

post_sites2

Pré-produção:

post_sites3

Produção de imagens:

Pós-produção e edição de imagem:

post_sites4

Geral:

Esperamos continuar complementando a lista, mas para isso precisamos se sua ajuda. Deixe suas sugestões na seção de comentários.

COMO MELHORAR DRASTICAMENTE SEUS RENDERS

post_renders1

Atualmente, a produção de renders de arquitetura se assemelha à uma corrida digital; ao passo que as imagens ficam cada vez mais sofisticadas, mais almejadas elas também se tornam. Neste artigo, publicado originalmente na página ArchSmarter como o primeiro da série “Pro Smarts”, Jonn Kutyla, da PiXate Creative, compartilha seu processo de criação de imagens fotorrealistas. 

Criar renders fotorrealistas de arquitetura requer planejamento e atenção aos detalhes. Acrescentar pequenos detalhes às imagens pode ser demorado, mas certamente vale o esforço. Alguns dos menores detalhes tem os maiores impactos no realismo das imagens. Neste artigo focaremos no contexto em torno de seu edifício. Este não será um tutorial para um software específico, mas um guia de como usar a natureza para tornar suas imagens mais realistas.

Revit e o Sketchup são grandes ferramentas de projeto, mas nenhum deles foi desenvolvido para criar imagens fotorrealistas. Você precisará usar o Photoshop para alcançar os efeitos que mostrarei a seguir.

Vamos começar. Aqui está nossa imagem inicial:

post_renders2

Passo 1

Vamos acrescentar grama e variações no solo. Mude a altura da grama e não faça o solo perfeitamente plano. No mundo real, a grama cresce em velocidades diversas. Além disso, mesmo o solo aparentemente plano, não é realmente plano. O mundo natural é repleto de imperfeições e um dos principais alertas que apontam que uma imagem foi criada digitalmente é a ausência dessas imperfeições.

post_renders3

Passo 2

Acrescente algumas faixas na grama para mostrar que o cortador de grama foi passado em diferentes direções. Quando a grama é cortada, o cortador de grama passa as lâminas em diferentes ângulos. Podemos reproduzir este efeito para aumentar o realismo da imagem.

post_renders4

Passo 3

Acrescente sombras. Podem ser sombras de outros edifícios, uma árvore ou qualquer outra coisa. Esta é uma parte crítica do render. Precisamos mostrar que há outras coisas na imagem além do edifício. A ausência de sombras é um aspecto que aponta que a imagem foi criada digitalmente.

post_renders5

Passo 4

Ajuste as sombras e acrescente diferentes níveis de espessura na grama. Algumas áreas deverão ter muita grama e outras menos. Não tenha medo de deixar alguma sujeira aparecer. De novo, quanto mais variação, melhor.

post_renders6

Passo 5

Acrescente diferentes tipos de grama. Mesmo os melhores gramados têm diferentes espécies de grama. O segredo para uma imagem convincente é a variação.

post_renders7

Passo 6

Acrescente algumas folhas espalhadas aleatoriamente no terreno. É claro que isso parece tedioso, mas estamos tentando tornar esta imagem o mais realista possível, e a vida real não é perfeitamente alinhada e organizada o tempo todo.

post_renders8

Passo 7

Para finalizar, acrescente variações de cor na grama. Neste caso, eu usei um tom de marrom esverdeado em algumas regiões do gramado. É sutil, mas deixa a imagem muito mais convincente.

post_renders9

Conclusão

Aqui está a comparação do antes e depois:

post_renders10

Sim, demora mais criar uma imagem fotorrealista, mas o resultado é muito mais interessante. A questão que deve ser feita é: o projeto em questão merece esse investimento de tempo?

Na maior parte das vezes em que uma imagem não é interessante ou convincente, o problema é a ausência de pequenos detalhes. Alcançar esse nível de detalhe de forma equilibrada e convincente demora, mas como na maioria dos casos, a prática leva à perfeição.

18 FONTES DE PESQUISA ONLINE PARA ARQUITETOS

post_fontes1

Graças à internet, a busca por recursos de pesquisa não está mais limitada a bibliotecas próximas. Com efeito, muitas bibliotecas e revistas de renome mundial estão agora trabalhando para digitalizar partes importantes de suas coleções, ao mesmo tempo em que diversas organizações digitais têm surgido com a missão de melhorar o acesso a informação. Para ajudar a identificar alguns dos mais úteis, preparamos uma lista de 18 sites gratuitos que oferecem artigos acadêmicos, publicações, fotos, vídeos e muito mais.

1) JSTOR

post_fontes2

JSTOR é um que merece ser acessado e provavelmente você já o conhece. JSTOR contém os números anteriores das principais revistas acadêmicas, edições atuais de revistas, livros e fontes primárias. A biblioteca digital do JSTOR tem uma série de excelentes publicações de arquitetura e tem uma ampla cobertura da área de humanas, ciências e ciências sociais.

2) ARTS & ARCHITECTURE

post_fontes3

Conhecido por seu programa Case Study House, a revista Arts & Architecture destacou o desenvolvimento de moradias unifamiliares no período posterior a guerra, com especial ênfase no trabalho dos arquitetos do sul da Califórnia como Richard NeutraRudolf Schindler,Charles EamesFrank Lloyd Wright e John Lautner entre outros. Publicada desde 1929 até 1967, o site está agora dedicado a catalogação, Arts & Architecture oferece versões digitalizadas dos artigos selecionados a partir de 1945, assim como os temas completos dos últimos 11 anos da revista.

3) COLOSSUS

post_fontes4

Criado pela organização Modernist Homes (NCMH) da Carolina do Norte e Hanley Wood (empresa matriz da ARCHITECT), Colossus foca nas publicações de arquitetura do século XX, em especial nos desenhos dos anos 60, 70 e 80. Quando for completado, o arquivo digital oferecerá mais de 1,3 milhões de páginas, tornando-se o maior arquivo digital para arquitetura modernista.

4) THE ARCHIGRAM ARCHIVAL PROJECT

post_fontes5

O grupo Archigram foi muito influente de 1961 a 1974 e seu trabalho foi digitalizado. Os estudantes da Universidade de Westminster criaram esta plataforma em colaboração com os outros membros do Archigram, ou seus herdeiros. A base de dados inclui as versões digitais dos desenhos, colagens, pinturas, fotografias revistas, artigos, diapositivas, materiais multimídia e textos originais do Archigram quando disponíveis. Levando em conta que a maioria dos trabalhos do Archigram permaneceu sem construir, sua digitalização proporciona uma estrutura poética para a produção conjunta dos arquitetos envolvidos.

5) BIBLIOTECA VIRTUAL GETTY PUBLICATIONS

post_fontes6

Em 2014, a Getty Publication lançou sua biblioteca virtual com mais de 250 títulos para serem lidos de graça online. Os trabalhos publicados pela Getty Publication complementam o trabalho do J. Paul Getty Museum, do Getty Conservation Institute e do Getty Research Institute. Os recursos da biblioteca abrangem assuntos como arquitetura, arte, fotografia, arqueologia, conservação, e ciências humanas em geral. Você também pode encontrar um material interessante no Portal de educação Getty.

6) ISSUU

post_fontes7

Com mais de 21 milhões de publicações, o ISSUU é uma interessante plataforma de publicação para revistas, catálogos e periódicos e se tornou uma plataforma necessária para pequenos editores e pessoas que desejam disponibilizar seus trabalhos online. A companhia de meios digitais oferece tanto títulos conhecidos quanto emergentes, sobre temas de cultura, arte, estilo de vida e (mais importante) de arquitetura.

7) ARCHNET

post_fontes8

Archnet tem como foco o entorno construído e edifícios emblemáticos do mundo islâmico e oferece uma ampla gama de documentação: imagens, desenhos, publicações, atas de seminários, artigos, monografias e arquivos de arquitetos. Esta ferramenta de pesquisa é uma visita obrigatória para as pessoas interessadas na arte e na arquitetura islâmica.

8) RIBAPIX

post_fontes9

Provavelmente você conhece o Royal Institute of British Architects por seus prêmios e pela promoção da arquitetura britânica mas, você sabia que RIBA também tem sua biblioteca de imagens online? RIBApix conta com mais de 85 mil imagens digitais emitidas pela Biblioteca Britânica de arquitetura. De edifícios emblemáticos, a cenários de rua até arquitetura vernacular, a plataforma fornece provas fotográficas de diferentes períodos históricos. A coleção é atualizada com frequência com os projetos recém construídos e aborda desenho de interiores, paisagismo, topografia, planejamento, construção e artes decorativas. Todas as imagens podem ser baixadas em pequena resolução, de forma gratuita e podem ser compradas para ilustrar uma publicação.

9) PATHÉ NEWSREEL ARCHIVE

post_fontes10

Em 2014, a filial britânica da famosa empresa de cinema e produção Pathé liberou 85.000 vídeos no seu canal de Youtube para serem vistos de forma gratuita em alta resolução. O arquivo contem os filmes produzidos desde 1910 até 1970 e é incrível em términos de alcance, abarcando temas notáveis na arquitetura e desenho, tais como a construção do Empire State, o edifício Jonhson Wax de Frank Lloyd Wright, o Convento de La Tourrette de Le Corbusier, a Expo Montreal de 67 e a construção da cúpula geodésica de Buckminster Fuller.

10) BIBLIOTECA DE IMAGENS DA ARCHITECTURAL ASSOCIATION

post_fontes11

A biblioteca de imagens online da Architectural Association contem 8 mil imagens que representam o principal de uma coleção mais ampla da escola. Diapositivas, negativos e cópias da arquitetura histórica e contemporânea estão disponíveis em baixa resolução para fins educativos, mas também é possível comprar para uso comercial. A AA também oferece fotografias de trabalhos dos seus estudantes desde a década de 1880, assim como um arquivo de vídeo das suas palestras, conferências e simpósios.

11) A BIBLIOTECA DO COURTAULD INSTITUTE

post_fontes12

O Courtauld Institute oferece acesso online as principais fontes primárias e imagens da sua coleção. A base de dados online inclui 40 mil fotografias, recortes, desenhos arquitetônicos e publicações que abarcam os séculos XIX, XX e XXI. Mesmo o Courtauld sendo mais conhecido como uma instituição de história da arte, a biblioteca de Conway foca em temas arquitetônicos e é um recurso valioso para os pesquisadores e estudantes em geral.

12) BIBLIOTECA DE HARVARD VIA (VISUAL INFORMATION ACCESS)

post_fontes13

O VIA (Acesso a Informação Visual) da Biblioteca de Harvard proporciona registros descritivos, desenhos arquitetônicos e fotografias. Todas as imagens estão disponíveis somente para fins educativos.

13) ARQUIVOS FOTOGRÁFICOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA DE NOVA YORK

post_fontes14

Os arquivos fotográficos da Biblioteca Pública de Nova York oferecem mais de 180 mil imagens em alta resolução que são de domínio público e não estão sujeitas a restrições de copyright. Estas cenas descrevem as ruas de Nova York e seus edifícios históricos e incluem a documentação incrível do edifício Chrysler e a construção do edifício Woolworth. Entretanto, a biblioteca também conta com painéis fotográficos de edifícios demolidos ou destruídos em todo o mundo, como o Crystal Palace de Londres, demolido em 1936.

14) ARCHINFORM

post_fontes15

No archINFORM, você encontrará biografias completas de arquitetos e as descrições dos edifícios que moldaram suas carreiras. Edifícios em construção, edifícios finalizados e projetos não construídos, assim como os prêmios recebidos e publicações estão listados no site. Por outro lado, o archINFORM possui uma base de dados muito ampla que dá crédito a arquitetos famosos e menos conhecidos.

15) SAH ARCHIPEDIA

post_fontes16

A Sociedade de Historiadores de Arquitetura oferece uma enciclopédia de arquitetura somente para membros, mas sua versão gratuita inclui artigos notáveis de 100 edifícios historicamente importantes em cada estado dos Estados Unidos.

16) A CASA CHARNEL

post_fontes17

Dirigido por Ross Wolfe, este blog apresenta extratos de fontes primárias e material histórico. Mesmo não sendo um arquivo no sentido mais estrito, esta plataforma pode ser muito útil quando se pesquisa sobre a arquitetura modernista na Alemanha e nos países do leste europeu, e sobre o construtivismo russo.

17) MAGAZINE RACK

post_fontes18

Dirigida pelo Internet Archive, esta é uma coleção cada vez maior de publicações mensais e revistas digitalizadas. No momento conta com os arquivos de “The Builder”, a revista mais antiga e completa do Reino Unido na indústria da construção, datada o século XIX.

18) CANADIAN ARCHITECT

post_fontes19

A revista Canadian Architect compartilhou arquivos digitais das suas publicações desde 2008. Os artigos informam sobre as práticas arquitetônicas no Canadá, revisam os desenhos em todo o país, exploram projetos de novas construções e observam o uso de novas tecnologias nas práticas atuais.

 

LINE-X CRIA TINTA ESPECIAL PARA PROTEGER EDIFÍCIOS DE DESASTRES E EXPLOSÕES

post_explosao

Um revestimento protetor desenvolvido pela Line-X tem o poder de tornar os edifícios virtualmente impenetráveis. O produto – que é borrifado sobre as superfícies – cria uma fina barreira à prova d´água, resistente contra impactos e ação abrasiva e pode suportar altas temperaturas; aspectos que se combinam para tornar a substância quase indestrutível. A mistura,  conhecida como “Paxcon®”, é mais resistente que o aço e pode ser usada para proteger edifícios de explosões ou desastres naturais como terremotos e tempestades.

As superfícies pintadas com Paxcon® podem resistir a explosões 20 vezes mais fortes que paredes comuns, afirma a empresa após mais de 20 anos de testes rigorosos. Pesquisadores do New Mexico Institute’s Energetic Materials Research and Testing Center (EMRTC) conduziram o teste mostrado no vídeo acima, em que duas paredes idênticas de concreto são construídas; uma pintada com Paxcon®  e a outra não. O vídeo mostra a parede que recebeu o composto resistindo à explosão; ela sofre flexão durante a detonação, mas permanece intacta.

post_explosao2

A diferença absurda entre as duas paredes e seus interiores após a explosão comprova a capacidade de Paxcon®  de evitar fatalidades durante explosões ou colapso estrutural.

A substância, um composto de polímeros elastômeros, se mostrou mais resistente que revestimentos similares de aço inoxidável e fibra de carbono. Além de edifícios, a substância tem sido implementada como revestimento protetor em coletes à prova de bala , equipamentos agrícolas, automóveis e mesmo em aviões. Apesar de sua composição química, testes comprovaram que é seguro beber água potável armazenada em um contenedor revestido  com esta substância.

A Line-X  já provou a efetividade do composto em madeira, painéis de gesso, tijolos, aço, blocos cerâmicos e já está disponível comercialmente para ser usada em virtualmente qualquer superfície. Sua versatilidade e fácil aplicação podem tornar este composto um material comum na construção civil nos próximos anos.

RESILIÊNCIA DOS COLABORADORES VIRA COBIÇA NAS EMPRESAS

Por Silvia Bez , em Administradores.com, 29 de julho de 2016, às 16h15

post_resiliencia

Termos como “respirar fundo”, “contar até três” e “focar na solução” são ótimas descrições para a resiliência, que pode ser resumida na capacidade de se adaptar às mudanças rapidamente. E esta é, hoje, uma das competências mais faladas e procuradas pelas empresas. Até por isso, destaca-se o colaborador que consegue lidar com pressão do dia a dia, aumento no volume de tarefas, mudanças na equipe e ainda entregar resultados eficientes.

O enxugamento no quadro de funcionários aumentou a competitividade no mercado e tornou o ambiente de trabalho altamente estressante, inclusive pelo volume de tarefas distribuídas em menor número de pessoas. Muitos dos profissionais que não fizeram parte dos cortes causados pela crise tiveram que aprender a lidar com maior nível de pressão e exigência de seus superiores.

Quando falamos em resiliência, englobamos diversas características de comportamento, como adaptação a diferentes cenários, busca por solução de problemas e enfrentamento de situações muito estressantes ou até traumáticas. Quem possui esta habilidade consegue promover transformações necessárias para alcançar os objetivos com mais facilidade.

Profissionais resilientes geralmente são estimulados por seus próprios estilos de vida. Quanto mais ganham consciência sobre reações e comportamentos diante de situações de pressão e desafio, mais dominam estas questões.

post_resiliencia2

Você é uma pessoa resiliente quando se desenvolve nas mudanças, inova suas práticas e consegue se antecipar às situações que podem afetar seu trabalho. Com esta habilidade, apresenta um perfil proativo e voltado para o futuro.

Atualmente vivemos em uma realidade onde crises econômicas e cenários turbulentos acontecem em períodos cada vez mais curtos. As empresas são frequentemente desafiadas e, por consequência, os dirigentes destas organizações são mais cobrados.

Empreendedores e líderes, em especial, vivem sob demandas desafiadoras. Convivem em ambientes tensos e atuam em situações de alto risco, em que lidar com crises já se tornou parte do cotidiano. Por isso, estas posições exigem profissionais resilientes.

Mesmo nos momentos difíceis, persista em seus objetivos e mantenha a esperança e o pensamento positivo. Pessoas resilientes se tornam mais fortes a cada desafio superado e adquirem a habilidade para lidar com as adversidades do mundo corporativo.

Silvia Bez – Palestrante motivacional, especialista em vendas e marketing pessoal, além de Master Coach. Em seu trabalho, sempre foca o lado humanista. Formada pela Sociedade Latino Americana de Coaching e pela IAC (International Association of Coaching), é autora dos livros “Paixão em Vender – 5 Segredos do Vencedor”, “7 passos para se apaixonar pelo que faz” e “5 Passos para fortalecer sua Memória”. Site: http://www.silviabez.com.br.

ALEMANHA BATE RECORDE EM GERAÇÃO DE ENERGIA RENOVÁVEL

wind farm at dusk

Atualmente, cerca de 33% da energia elétrica consumida na Alemanha é proveniente de fontes renováveis, porém, este é apenas um começo: o país está se preparando para concluir sua transição energética até 2050, quando passará a produzir 100% da energia que necessita através de fontes renováveis.

No último dia 8 de maio, o país vivenciou um marco histórico: pela primeira vez a energia de fontes renováveis alcançou uma taxa de geração tão elevada que os fornecedores de energia convencional tiveram que aplicar um desconto na conta de luz dos consumidores. As energias solar, eólica, hidráulica e de biomassa somaram 55 GW dos 63 GW que eram consumidos, ou seja, 87% do consumo. Isso fez com que durante algumas horas o preço da energia elétrica fosse negativo. No momento de menor preço, o Megawatt/hora  estava valendo cerca de -130 euros.

Como os consumidores abasteceram seus gastos elétricos durante várias horas com energias renováveis, o custo dessas horas foram descontadas de suas contas de luz, já que a fatura é enviada por empresas de energia convencional (não renovável).

Como isso foi possível? Na Alemanha há um mercado de compra e venda de energia. O sistema energético define o preço final da fatura em função da produção de energia e da demanda dos cidadãos. Durante os momentos de maior produção naquele domingo, a geração de energia limpa foi tão abundante que “sobrou” energia convencional. A sobreprodução fez om que os preços baixassem até atingirem cifras negativas, como se pode ver na tabela a seguir.

post_energia2

A tabela considera os preços, o consumo e a geração de energia. Em azul vemos o fornecimento de energia tradicional, em verde, o de energia renovável. A linha azul é o preço da energia e a linha vermelha indica o consumo de eletricidade.

Em 2015 a Alemanha havia atingido um recorde ao produzir em um dia 83% da energia necessária através de fontes renováveis. Em um dia de sol e vento, as usinas alternativas alemãs podem gerar de 60% a 70% da energia, no entanto, no dia 8 de maio deste ano foi registrada a cifra de 87%, valor até então nunca atingido.

A Alemanha é a principal referência europeia na transição para as energias renováveis e a conscientização ecológica do país é vista também nas campanhas de reciclagem muito bem recebidas pela população ou também em iniciativas pioneiras como a implementada por Hamburgo, que decidiu parar de comprar produtos de origem plástica com o dinheiro dos contribuintes.